Apresentação

Aproveitando as Comemorações do Centenário da República, a exposição que agora se oferece, pretendeu:
• Promover o conhecimento da I República e Republicanismo em Santarém;
• Dar a conhecer a génese do Grémio Literário Guilherme de Azevedo no contexto do movimento republicano;
• Evidenciar o papel dos diferentes actores no movimento associativo de Santarém e o recrudescimento do ideário republicano;
• Levantar um conjunto de documentos escritos: arquivísticos, bibliográficos e iconográficos que nos ajudem a reflectir e a compreender a influência que a figura de Guilherme de Azevedo exerceu sobre as pessoas e as suas acções em Santarém e, ainda, sobre o desenvolvimento e consolidação da ideia de República e Democracia.

Esta está organizada em cinco painéis que se desenrolam entre a década de 70, do séc. XIX, com a consagração de Guilherme de Azevedo que em 1873 publicou ALMA NOVA, e a implantação da República em 5 de Outubro de 1910; entre a inauguração do primeiro clube republicano – Clube Democrático Guilherme de Azevedo –, inaugurado a 12 de Junho de 1885 e a vitória da Revolução Republicana Portuguesa para a qual contribuíram muitas pessoas e associações escalabitanas que, tal como o Grémio Literário fundado em 1905, invocando o nome do poeta Guilherme de Azevedo, propagaram a ideia republicana em Santarém.

A investigação foi produzida e levada a cabo durante mais de um ano, tendo sido coordenada por Leonor Lopes, directora do Arquivo Distrital de Santarém e coadjuvada por Luísa Barbosa, representando o Círculo Cultural Scalabitano, apoiada por Vera Duarte, guia-intérprete e Dina Araújo, directora das bibliotecas do Instituto Politécnico de Santarém.

Advertisements